Fêmea de Culex quinquefasciatus sugando sobre a pele humana. Foto: Sandra Nagaki, SP

segunda-feira, 7 de março de 2016

Ações de controle do Aedes aegypti com o uso de armadilhas em instituições de ensino, comunidades e condomínios

Com a veiculação de novos agentes de doenças transmitidos por mosquitos, venho recebendo alguns emails de professores, diretores de escolas e de líderes comunitários e educacionais. Assim, descrevo abaixo um desses emails, que é de um professor, e na sequência coloco as minhas considerações sobre o assunto.
Boa leitura! Sirlei 
Prezada Sirlei. Estou incentivando as crianças de uma escola no bairro a fazer ações contra o mosquito Aedes aegypti. Li o seu blog e algumas outras informações, e este vídeo (abaixo) me pareceu ser o mais recomendado a se fazer para confecção de uma armadilha, desde que as crianças assumam as responsabilidades e pratiquem as demais ações recomendadas. Minha dúvida, a princípio, seria o que exatamente colocar na água para atrair mais mosquitos. Se já existe algum produto de eficiência comprovada, e se existe algo que possa ser produzido sem problemas. Também se somente a orientação de um professor é o suficiente. Marcos
 

Prezado Marcos. Muito obrigada pelo contato, e parabéns pelo interesse em participar no controle do Aedes. Sabemos que um controle só é efetivo quando todos os criadouros potenciais, incluindo o abrigo dos mosquitos como o mato, por exemplo, são eliminados ao longo de uma determinada área. Porém, numa alta infestação, como a que vem ocorrendo no nosso país, e na retirada abrupta dos criadouros, as fêmeas tendem a procurar novas paragens para pôr os seus ovos, como resposta da ativação dos mecanismos alternativos de sobrevivência da espécie. Nesse caso, o uso de uma armadilha serve tanto como opção para a postura das fêmeas como para o monitoramento dos mosquitos, a fim de verificar se a população está realmente sendo reduzida na área em questão. Assim como, a armadilha serve para suprimir a população de mosquitos, ou seja, as proles vão sendo eliminadas aos poucos, sem o uso indiscriminado de inseticidas. 

Sobre a armadilha com pet do video, eu vejo que o protótipo tem a vantagem de ser produzido facilmente com baixo ou nenhum custo. Além de realmente prender os mosquitos. Contudo, há algumas limitações como o

fato de ser transparente, por exemplo. Isso produz muita reflexão para a visão do mosquito, porque este possui 'olhos compostos', enxergando sob várias direções e espectros. Outrossim, se pintar toda a garrafa de preto, reduzindo assim a reflexão, a pessoa não poderá detectar as larvas presas no seu interior. E, ao desmontá-la para ver a positividade, se houver algum alado, este sairá voando. Nesse caso, uma ideia seria pintar o 'funil' em cima de preto e colocar um tipo de sobrecapa preta na armadilha, tal como um cilindro, em que este ao ser retirado permita enxergar o interior da armadilha, sem contudo desmontá-la. 

Sobre o atrativo, não há ainda algo realmente efetivo sobre isso. Porém, sabe-se que a presença de água, ovos e larvas de Aedes numa armadilha, já constitui um atrativo natural. Haja vista que os ovos e as larvas liberam voláteis de hormônios específicos que orientam e atraem outras fêmeas grávidas da mesma espécie. 

Se você é professor, diretor ou coordenador de ensino da escola poderá orientar pessoalmente os alunos. Somente que, com a redução da população de mosquitos, as armadilhas devem ser destruídas. E, enquanto estão sendo utilizadas, estas devem ser monitoradas e sinalizadas por meio de um aviso de que são armadilhas para monitoramento do Aedes aegypti. Esse método pode ser adotado também em associações, conselhos de comunidade e instituições de ensino e comércio. Desde que tenha a nomeação de um coordenador ou responsável pelas ações de controle. Também o coordenador deve verificar a eficácia da armadilha. Porque, se a mesma não proporcionar os resultados esperados, o método deve ser melhorado com outros protótipos.

Dicas para um bom uso da armadilha: 

- A armadilha deve ser limpa, e não conter nenhuma substância com a finalidade de atrair mais mosquitos. Pois, ao se decompor, esses materiais liberam odores indesejáveis, além de produzir matéria orgânica no meio liquido. Isso poderia atrair algumas espécies de moscas, formigas e demais insetos indesejáveis ao redor da armadilha. 

- O recipiente deve ser colocado em local sombreado, onde não fica exposto a intempéries. Podendo também ser instalado em banheiros e locais de escritório. Também nos jardins, em meio as plantas. No chão ou pendurado até um metro de altura.  

Se alguém tiver alguma sugestão ou queira descrever possíveis limitações dessa armadilha ou método, poderá contribuir nos comentários abaixo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário