Fêmea de Culex quinquefasciatus sugando sobre a pele humana. Foto: Sandra Nagaki, SP

sábado, 28 de janeiro de 2017

O potencial da Andiroba como repelente natural de mosquitos


A andiroba, Carapa guianensis Aublet, é uma árvore pertencente à família Meliaceae, encontrada em toda a América tropical. No Brasil, ocorre principalmente na Bacia Amazônica e na costa Atlântica.

Desta árvore, aproveita-se comercialmente o óleo derivado das sementes e a madeira. O óleo não tem cheiro e, sendo amargo, é muito utilizado na medicina popular para os males do estômago. O uso tópico tem efeitos como cicatrizante e antialérgico. Também o óleo é empregado na fabricação de velas para espantar o mosquito Anopheles, transmissor da malária, o Culex, o pernilongo, e o Aedes aegypti, transmissor dos vírus da dengue, zika, chikungunya e febre amarela.


Sabe-se que o óleo de andiroba era utilizado como repelente de mosquitos pelos índios, por meio da aplicação na pele. Contudo, sendo um óleo, o uso constante pode ser desconfortável e até mesmo prejudicial. 

Assim, uma sugestão é a manipulação do produto como um cosmético na forma de creme, em farmácias especializadas com concentrações de 10 a 20% do óleo ou extrato da semente de andiroba e o restante somente uma emulsão, sem perfume. Haja vista que algumas substâncias aromáticas constantes nos cremes principalmente as florais podem atrair os mosquitos. Também não aconselho manipular o produto com concentração de mais de 20% para evitar a oleosidade no produto. 

Este creme não tem cheiro, não é oleoso e serve também como hidratante. É muito eficaz como repelente. Digo por experiência própria, pois uso a andiroba como repelente há três anos com bons resultados. 
    
O óleo de andiroba é quase exclusivamente composto por material saponificável, onde se destaca a alta porcentagem de ácidos graxos insaturados, de grande interesse para a indústria de cosméticos. Sendo que o poder de repelência do óleo de andiroba parece estar nos compostos denominados limonóides presentes na sua constituição.
Os limonoides (limoneno) pertencem a classe dos Terpenos, os quais representam o grupo mais antigo de produtos de pequenas moléculas sintetizado por plantas. Provavelmente o grupo mais difundido de produtos naturais terpenos são encontrados em óleos essenciais das plantas e contém a quintessência, ou seja, a fragrância das plantas. Essas substâncias estão presentes em pequenas quantidades em organismo vivos, onde desempenham numerosos papéis vitais na fisiologia das plantas bem como funções importantes nas membranas celulares.
A presença dos terpenos em algumas plantas tem a função de repelir os insetos ou matá-los caso ocorra a ingestão da substância, pois esta inibe a enzima acetilcolinesterase, sendo tóxico e até letal para os mosquitos e também para alguns agentes microscópicos causadores de doenças. De outro modo, a presença de outras substâncias nas plantas, como as florais aromáticas, contribui para atrair os insetos, a fim de se aproximarem para a alimentação de açúcar sobre o néctar e realizarem a polinização. 

Abaixo cito algumas referências científicas sobre o óleo de andiroba, limoneno e terpenos.
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25171605
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21338379
https://pt.wikipedia.org/wiki/Limoneno
http://www.scielo.br/pdf/qn/v26n3/15666.pdf

Nenhum comentário:

Postar um comentário